,

VOCÊ ACREDITA EM TUDO O QUE POSTAM NO FACEBOOK?

Estudos comprovam que a alegria mostrada no Facebook é ilusória. Uma relação consumista que preocupa e deve ser levada em consideração ao analisarmos o perfil do consumidor na internet.

Tenho visto muitas empresas se lançarem nas redes sociais e fazerem verdadeiras loucuras para gerar engajamento do consumidor, é um tal de sorteio disso, compartilhamento e curtida daquilo, criação de um perfil assim, com ênfase no assado… e por ai vai.

Muitas se esquecem que a analise deve ser mais profunda. Vocês já prestaram atenção que no Facebook só a alegria é permitida? O espaço das lamurias seve apenas quando se trata de um problema social ou a morte de alguém, pois a dor da morte parece ser a única exposição no Facebook que não pega mal ao expositor. As demais dores da alma jamais devem ser ditas, sob pena da pessoa cair no ridículo.

A tristeza não vende! Você só consegue ter audiência quando comunica algo de bom. Ok, eu acredito que isso seja válido, mas ninguém vive em euforia 24 hs por dia. Além dos infortúnios do dia a dia, todos nós carregamos certo vazio na alma. Em alguns esse vazio é maior, em outros menor, muitos não lidam bem com ele, mas o fato é que esse vazio existe e aqui é que entra o marketing, principalmente se você vende sobre os auspícios do relacionamento interpessoal.

Tente você ficar uma semana sem usar o Facebook, você vai ver que a alegria mostrada e compartilhada é ilusória e decorre da necessidade que termos de sempre nos compararmos aos outros. Ao analisar o seu consumidor no Facebook, leve em consideração o outro lado da alegria alheia, ou você corre o risco de nunca entender as pessoas em rede de relacionamentos.