,

MENOS É MAIS

O que esta por traz do conceito que algumas marcas já aderiram e estão lucrando muito?

Escolher produtos que tem a finalidade de reduzir algo de forma que se possa ganhar em qualidade de vida. Essa é filosofia que muita gente passou a adotar nos últimos tempos – e que consequentemente, empresas de diversos segmentos começaram a enxergar como oportunidade de negócios.

Hoje em dia comer menos pode significar mais saúde. Trabalhar menos pode representar mais atenção à família ao lazer ou a espiritualidade. Isso fica claro ao verificarmos a quantidade de produtos naturais, nutracêuticos e orgânicos disponíveis para comprarmos. Também vemos muito mais pessoas frequentando academias ou mesmo realizando caminhadas e andando de bicicleta.

Esse cenário é impulsionado por interesse de grandes corporações em aumentar sua participação no mercado e consequentemente seu volume de vendas. Você pode até não perceber esse movimento, mas ele existe. No caso das bicicletas, por exemplo, a Caloi, aproveitando a comemoração do Dia Mundial sem Carro, lançou alguns anos atrás uma campanha com divulgação em todos os meios, para que as pessoas abandonassem a preguiça e adotassem a bicicleta como meio de transporte, também atrelando alguns benefícios estéticos e de boa saúde com a prática. Resultado: a campanha viralizou e as vendas da tradicional fabricante decolaram.

Outra tendência que deixa claro que esse setor é um filão de mercado sensacional, e serve de termômetro, são as pessoas que buscam especialização para atuar nessa área, como por exemplo, os nutricionistas. Se você ainda não fez uma consulta com um, com certeza em menos de dois anos os consultórios desses profissionais vão lotar e você estará lá, sempre em busca de uma melhor qualidade de vida.