, ,

REDES SOCIAIS! SUA EMPRESA ESTÁ PREPARADA?

AS REDES SOCIAIS VIRARAM UM BALCÃO DE RECLAMAÇÕES!

SUA EMPRESA ESTÁ PREPARADA?

Reclamar sobre um produto ou empresa em sites como o Facebook, Twitter, Instagram e outros está cada vez mais normal, segundo aponta um estudo da E.Life, empresa especializada em monitoramento de reclamações em redes sociais.
O consumidor está cada vez mais exigente, não importa para qual classe social você venda, hoje segundo dados do Governo Federal, há mais ligações com pontos de internet do que de celulares no país e segundo previsão do Serasa Experian, em 2017 vamos ter mais de 170 milhões de pessoas conectadas a internet no país.

Você, empresário, já se deu conta de que, quanto mais pessoas interligadas em rede, maior é a chance de ter o seu produto ou serviço exposto?

Hoje em dia, ainda há um conservadorismo quando se trata de assuntos ligados a produtos de cidade pequena ou de bairro, mas quando se trata de vendas em larga escala, tudo muda de figura. Façam um teste simples, entrem na página do Facebook da Caixa Econômica Federal, há centenas de pessoas reclamando todos os dias. Entre no Facebook da Oi (telefonia) você vai ver que as pessoas procuram esses canais por serem mais efetivos, porque nas redes sociais o consumidor ganha voz, coro e melodia.

As redes sociais viraram um novo “balcão de reclamações”, e isso não é surpresa. Alessandro Barbosa Lima, CEO da E.Life, que monitora reclamações em redes como Twitter e Facebook, diz que a resposta para os problemas do consumidor podem vir em até cinco minutos após a publicação nestes sites. Dependendo da gravidade do problema, o retorno pode demorar um pouco mais. “O internauta quer respostas rápidas. Antes, a reclamação ficava em ambiente privado, mas hoje ela é pública. Se não houver agilidade, a imagem da empresa é prejudicada”.

O fato é que o consumidor lesado quer ser ouvido, não importa se você tem um mercadinho de bairro, ou se você atende todo o Brasil, se a sua empresa não estiver preparada para receber uma crítica pública, está na hora de rever os canais de comunicação com o consumidor, afinal não estamos mais em 1950, os tempos são outros, o comportamento do consumidor é outro, quer você queira ou não.

Abraço e até o próximo post!